quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

A CAUSA ANIMAL

MOOTLEY, O CACHORRINHO QUE COMPREI EM UMA PET SHOP



Não acredito muito em causas, sejam elas quais forem, pois tenho visto que muitas boas intenções acabam servindo de lenha para manter aceso o fogo do inferno. Porém, se eu fosse defender alguma causa, com certeza seria a dos animais – seres inocentes e indefesos que sofrem com as crueldades e desmandos da raça humana, sem nada terem feito de ruim para merecerem tantos maus tratos. Admiro as pessoas de bem que realmente estão comprometidas com a defesa dos bichinhos, sem interesses próprios envolvidos – o que é mais raro.
Porém, sou contra a bandeira que diz: “Não compre; adote.” Acho que bicho é aquela coisa de olho no olho, amor à primeira vista, e se eu me apaixonar por um bichinho que está em uma gaiola na pet shop, eu vou comprá-lo. Eles também merecem uma chance de serem amados e felizes em um lar, assim como os cães vira-latas! De certa forma, as pessoas que compram animais também estão contribuindo com a causa, já que os livram de continuarem engaiolados ou de servirem de reprodutores para satisfazer a ganancia por lucros de seus tutores humanos. 

É uma tremenda idiotice, essa coisa de querer elitizar até mesmo animais inocentes.

Acho que quem adota animais merece todo apoio; mas o que eu tenho visto, é que alguns veterinários e protetores, ao recolherem animais feridos nas ruas, usam do sentimento de culpa das pessoas para obrigá-las a ficarem com eles. Oferecem vacinas gratuitas para que sejam adotados (não importa por quem, ou as condições de vida dos que adotam tais animais), e todas as facilidades momentâneas que convençam pessoas bondosas, mas que não têm condições para ficar com os bichos, a recebê-los em suas casas. Mas com o tempo, quando o animal adoece – e a maioria dos animais resgatados da rua tem alguma doença – os “veterinários do bem” cobram para atendê-los os mesmos preços que cobram por qualquer outro atendimento. Sem descontos. E à pessoa que adotou o animal, muitas vezes sem condições de pagar por um tratamento, só resta observar enquanto ele morre, correndo o risco de ser chamada de cruel ou negligente.

Se eu fosse lutar por uma causa animal, ao invés de recolher cães que estão muito bem adaptados à rua, levando-os para abrigos superlotados e cheios de doenças, onde eles levarão uma vida estressante, arriscada e monótona, eu os alimentaria onde eles estão, e se necessitassem de tratamento, após tratá-los eu os levaria de volta ao seu local de origem. Tentaria lutar por eles criando leis que os protegessem e fazendo de tudo para conscientizar as pessoas sobre a responsabilidade que deve ter quem possui animais. Tentaria lutar por penas mais severas para quem os abandona, incentivando denúncias a maus tratos. E eu sei que existem pessoas que fazem tudo isso, e a elas, o meu aplauso.
Gostaria de poder adotar cães, mas não posso ficar com todos, pois não tenho espaço físico, disposição, tempo ou condições financeiras para cuidar deles. 

Sinto muita pena deles, mas não me sinto culpada.

Mas acho que nem sempre o amontoamento de cães em abrigos é a melhor solução para eles. Cães de rua estão acostumados a ser livres, a andar de um lado a outro da cidade, e tem seus ‘amigos’ cães com quem brincam e interagem. Nos abrigos, além de confinados a espaços pequenos, onde o stress faz com que muitos acabem brigando e ferindo-se, eles ficam tristes e adoecem. 
Também não acho correta essa campanha contra quem cria cachorros a fim de vendê-los. Basta que se visite os canis, e que se conheça os criadores. Há muitos criadores sérios, que tratam muito bem os seus animais e que estão sendo prejudicados devido a esta injusta propaganda terrorista contra eles. Aqueles que maltratam animais, seja em canis de reprodução, em pet shops, nas ruas ou em suas próprias casas, devem ser denunciados, expostos e presos, pois quem maltrata um animal é capaz de maltratar qualquer coisa viva, e representa um perigo para a sociedade. Muitos são doentes mentais. 

Incentivar a adoção é muito legal, mas incutir sentimento de culpa nas pessoas, não é. Não sou eu a responsável pelos milhares de cães abandonados nas ruas; não devo me sentir culpada porque, ao passar por uma pet shop, olhei para dentro e tive vontade de comprar um animal de estimação. 

São os exageros apaixonados que acabam por desvalidar boas causas. 




quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

My Best New Year's Night






I was very young. I remember it was the year when they announced on TV that the star that had guided the Three Kings to Jesus would be very visible, due to a phenomenon which I can't explain now, and didn't understand very well then. The fact is that I kept looking at the sky for a long time, looking for the star, but I don't really remember seeing anything different. Thinking better, it looked like the time when they said we would see the Halley Comet - nobody did.

There were some guests in my house. Our house was small, so all doors and windows were open, and people were laughing and having a barbecue. My sister and I were teenagers, and we had a lot of friends in the neighborhood. 

After one a.m, when everybody had gone home, our friend Nando dropped by. My parents and older sisters had gone to bed, and My teenage sister and I  had put our sound system in the back yard. The sky was very starry, and the night was a little cold, so we sat on the floor, near the barbecue pit to warm ourselves a little. 

We were listening to our favorite vinyl records - there were no such things like CDs or pen drives at that time. At a certain moment, we started talking about what we expected for our futures. Our plans were all so innocent, inconsequent and none of them came true (fortunately?), but they all sounded very sensible then. My sister was older than me, and her dream was to buy a motorcycle - although she could hardly ride a bike. She had no money for such adventure, and Nando offered to buy the motorcycle with her. They'd chip in for it. Well, of course, they never did.

Years later, Nando bought himself a motorcycle that was responsible for taking his life; he had an accident, and after that, he was never the same again, and ended up dying of meningitis that he caught when he was in hospital. But before that happened, we were friends for some years. He was just 25 when he died. 

I was very shocked when I got to know about his death, and I did not attend the funeral; had no courage. We weren't so close at that time anymore, because we all had started working and studying and had many things to do. I kept thinking on how stupid life could be - why did we have so many dreams if most of them would never come true? Why did people had to die at such an early age?

Well, I had no answers. And many people I knew died at very early ages after that. It was very hard for me to deal with each of those deaths. 

I just wanted to write about my best New Year's night, and look at the mess I've made! Sorry, but my heart always takes control of my mind when I'm writing. Anyway, that was my best New Year's night. Nothing special happened. We didn't see the star, we didn't even see a flying saucer. We saw nothing but the flames getting dim and the morning light coming from behind the mountains. And we heard nothing but my father's voice, angry and sleepy, saying that it was about time we went to bed.

So we did.




terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Simpatias de Ano Novo






Ninguém acredita em simpatias. Pelo menos, ninguém que eu conheça admite crer nelas. Mas quando chega o fim de ano, todo mundo passa a acreditar - mesmo (e talvez, principalmente) aqueles que juram que elas são apenas bobagens de gente supersticiosa. Acho tudo isso muito engraçado!

Mas se você não acredita, então me explique: por que teima em vestir branco na noite de ano novo, quando deseja paz? Por que usa amarelo ou dourado, quando precisa de dinheiro, e rosa quando quer encontrar um amor? Certa vez, conheci alguém que usou preto, porque ela dizia que não queria nada, e a cor preta é a cor que contém todas as outras cores, e que portanto, as neutraliza.

Ok; já estamos entendidos sobre o fato de você não crer em simpatias, e se eu insistir no assunto, com certeza você vai bater na madeira três vezes para isolar o azar causado a quem acredita em simpatias. E enquanto estiver fazendo isso, evitará dar alguns passinhos para trás, ou a mãe morre! 

Tem quem acredite que superstições dão azar, mas mesmo assim, preferem se arriscar a passar pelo meio-fio da rua e serem atropelados por um carro a continuarem na calçada e passarem debaixo de uma escada. Somos seres muito controversos!

Bem, pesquisei por aí e descobri umas simpatias (só de curiosidade; afinal, ninguém aqui acredita nessas coisas) para se fazer na noite de ano novo. Lembre-se: elas só funcionam se você não contar a ninguém sobre o que está fazendo! Mantenha segredo. 

Lá vão elas:




-PARA TER SORTE - Do site Esotherika.com:

 A ceia dos três reis magos

Antes da meia-noite, sirva sobre uma toalha branca nova quatro pratos com maçãs ­ uma para você e uma para cada rei mago.
Coma a sua.
No dia seguinte, dê uma nota (de qualquer valor) e uma das maçãs dos reis a uma criança e outra nota e as duas maçãs restantes a um mendigo.
Deposite uma terceira nota na caixa de esmolas de uma igreja e guarde uma outra até o final do ano e depois jogue-a fora.
A partir de 6 de janeiro, Dia de Reis, acontecerão mudanças em sua vida e a Sorte será sua aliada durante todo o ano novo.




-PARA TER DINHEIRO - Do site dicasdemulher.com


Espalhe punhados de arroz cru por todos os cantos da casa, mentalizando o seu desejo de prosperidade para você e toda a sua família. Retire o arroz em 6 de janeiro, Dia de Reis, e jogue-o no jardim.





-PARA TER SORTE NO AMOR - Do site Mulher de Classe:

Use roupas íntimas novas.  Dão sorte no amor, porque deixam os mal entendidos para trás. São recomendadas principalmente para quem está começando namoro, para garantir o futuro.





PARA ARRANJAR EMPREGO - (imprescindível nos dias de hoje), Do Terra Esotérico:

Escreva seu nome e endereço em uma folha de papel branco e enrole-a em uma chave sem uso. Mergulhe este embrulho em um copo de água com uma pitada de açúcar. Coloque o copo em algum lugar alto, onde ninguém possa mexer.
Deixe-o repousar por sete dias. Depois disso reze um Pai Nosso com muita fé, pedindo pelo emprego. Ao final da oração, jogue a água e o papel no lixo e guarde a chave. (observação minha: é claro, tenha fé, acredite em você, faça contatos, especialize-se e espalhe  currículos por aí!)





ALGUMAS PARA A CASA


É crença antiga de que, na noite de ano novo, as portas e janelas da casa devem estar abertas e as luzes, acesas, para que as energias sejam renovadas. Também é uma boa ideia deixar a casa bem limpinha antes da grande noite, lavando batentes de janelas e  de portas com sal grosso ou água do mar. 

Evitar: coisas quebradas (jogue-as fora!) e lâmpadas queimadas, que trazem muito azar na noite de ano novo. Minha mãe costumava dizer que nesta noite não se deve consumir animais que 'ciscam para trás', como galinhas e perus. Bem, eu acho que não se deve consumir animal algum, mas...

À meia-noite, é bom fazer muito barulho - cantar, ouvir música alta, tocar sinos, bater palmas, etc; - a fim de espantar os maus espíritos e as más energias. E não se esqueça de, no dia 6 de janeiro, colocar na carteira três caroços de romã. Eles não deixarão que sua carteira esvazie durante o ano todo. 


Agora, só me resta desejar a todos vocês boa sorte, e um Feliz 2017!




FRASES DE UM CONTO






Trechos do conto Olhos Nús, de Mia Couto




"A paixão é um fio de chuva em vidro de janela."






"A poesia aprende-se sendo feliz. Mas só sabemos que sabemos quando somos infelizes."







"...E foi assim que a mentira deixou de ser verdadeira. As pessoas entenderam e perdoaram."






"Morrer de ciúme é bonito de ser cantado em letra romântica."





"É tão fácil ficar velho... (....) Nem sequer é preciso tempo nem idade. Basta não ter vontade de acordar."






"Se o amor morre é porque já estávamos mortos antes. Espantamo-nos que Cristo tenha ressuscitado ao terceiro dia? Ele demorou muito. Afinal, todos renascemos no mesmo instante em que morremos."





"-Tenho medo de morrer demasiado." (...) 
-Ninguém morre nunca, se amou um amor de verdade."












EXAGEROS






Você não tem que perdoar tudo o que te fazem, por mais que as outras pessoas digam isso o tempo todo. Duvido que elas mesmas pratiquem o que pregam. Você não tem que fingir que sente algo que não sente de verdade.

Mas aquilo que você não consegue perdoar não deve se tornar uma obsessão, um pensamento fixo. Melhor é tentar esquecer e seguir em frente. Vingar-se pode ser bem mais doloroso do que seguir em frente, e dá muito mais trabalho – sem contar que a vingança cria uma energia negativa que fica pairando em volta de quem se vinga, contaminando o ambiente e afastando as boas pessoas e os bons fluidos. A vingança pode deixar você fisicamente doente.

Porém, hoje em dia somos dados a exageros. Tais exageros apaixonados colocam-nos em situações terríveis e emocionalmente desgastantes. Muitas vezes – e isto também já aconteceu comigo – perdemos a razão porque deixamos que as palmas das nossas mãos caiam pesadas demais sobre alguém.

Você não precisa desejar que a pessoa que o ultrapassou pela direita no trânsito sofra um acidente e morra; não precisa quebrar o ônibus porque o motorista se atrasou; não precisa furar os olhos de alguém que te olhou com inveja ou com raiva; não tem que desejar a morte ou o mal de alguém que o magoou ou ofendeu; não precisa pisar na cabeça do colega que está competindo com você por uma promoção; não tem que difamar alguém a fim de destacar-se na mesma área que ele. Você não tem que cortar os dedos de alguém que apontou um erro seu. Você não precisa ser um ditador emocional a fim de tentar fazer com que as pessoas ajam da maneira que você acha certa. Você não tem que humilhar alguém a fim de conceder-lhe seu perdão por um erro que tal pessoa cometeu contra você.

Você não tem que perder uma noite de sono porque não sabe que vestido vai comprar para ir àquela festa; não tem que levantar a voz só porque alguém não entendeu o que você disse da primeira vez; você não está agindo certo ao xingar alguém só porque essa pessoa não pensa igual a você. Não é justo que você xingue a atendente da loja porque ela não lhe concedeu a atenção que você achava que merecia – basta ir a outro estabelecimento comercial.

Os exageros nas atitudes não são sinônimos de justiça, e sim de medo. Quem se vinga o tempo todo não está feliz. Ninguém carrega uma arma se não estiver com medo, se sentindo inseguro, e  raríssimas são as ocasiões em que uma arma de fogo se torna necessária. Ninguém precisa de um rifle para atirar em uma aranha. Melhor seria se todos pudéssemos ter mais paciência, discernimento, bom senso e educação.

 Muitas vezes, tomamos para nós alguma coisa que uma pessoa disse ou fez – também acontece comigo – e então passamos a esperar por uma oportunidade de “devolver” à pessoa algo que não pertence a ela, magoando-a injustamente. E assim, cada vez mais, o espaço em volta da gente vai se tornando cada vez mais deserto. Tudo por causa dessa atitude que parece não ter muita importância, mas que tem sido o pivô de muitos conflitos, separações de casais e afastamentos de pessoas amigas: o exagero.





Só as Rosas São Perfeitas






quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

I'm Sorry



I'm sorry for the world,
Victim of intolerance,
Premises for destruction,
Road to insolence.

I'm sorry for Aleppo
And its children,
But most of all,
I'm sorry for those souls
Who will certainly burn in hell
For everything they've done,
For everything they're doing.

It's sad to live in a world
Where the end 
Would be the less hurtful thing.






Dentro




Dentro de cada pessoa
Existe um quarto vazio,
Que mostra uma paisagem fria
Onde raramente chega
A luz fraca de um dia.

Existem estradas longas
Já há muito abandonadas,
Estradas por onde passamos
Mas que deixamos para trás,
E nunca mais foram trilhadas.

Dentro de cada pessoa,
Existem portas entreabertas,
E mil janelas fechadas.

Dentro de cada pessoa,
Existem rios que correm
Caudalosos, carregando
As saudades afogadas
Para um mar que não sabemos.

Existem casas desertas,
Por onde ninguém mais passa,
E onde ninguém mais mora,
A não ser nossos fantasmas.

Dentro de cada pessoa
Existem muitas perguntas,
Que por medo ou precaução
Jamais foram formuladas.

As respostas, me disseram,
Vão com os rios caudalosos,
Que desaguam, cedo ou tarde,
Em imensos oceanos,
E escondem-se nas trilhas
Dos caminhos misteriosos,
Nas casas abandonadas
Por trás das janelas fechadas,
E das portas que trancamos.





segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Agradecimento




Agradeço a todos os que passaram pela minha casa em 2016. 

-Aos meus alunos, que me prestigiaram. Espero que eu os tenha ajudado!

-Aos amigos e parentes que me visitaram.

-Aos pássaros e demais bichinhos que sempre estão por aqui.

À chuva, que deu o ar de sua graça em abudância.

-Aos que prestaram seus serviços, pintando, consertando, jardinando... porque uma casa não se mantém sozinha. Obrigada por deixarem um pouco da sua arte por aqui.

Agradeço também a todos os que passaram por este blog, que é um dos meus favoritos e o que escrevo com mais prazer. Mesmo que não seja o mais visitado. Obrigada!

Um Feliz Natal e um 2017 bem melhor!



Hallelujah





Hallelujah, by Leonard Cohen
Rufus Wainwright
  

I've heard there was a secret chord
That David played and it pleased the Lord
But you don't really care for music, do you?

It goes like this... The fourth, the fifth
The minor fall
The major lift
The baffled King composing Hallelujah

Hallelujah
Hallelujah
Hallelujah
Hallelujah

Your faith was strong but you needed proof
You saw her bathing on the roof
Her beauty and the moonlight overthrew you.

She tied you to a kitchen chair
She broke your throne
She cut your hair
And from your lips she drew the Hallelujah

Hallelujah
Hallelujah
Hallelujah
Hallelujah

Maybe I have been here before
I know this room, I've walked this floor
I used to live alone before I knew you

I've seen your flag on the marble arch
Love is not a victory march
It's a cold and it's a broken Hallelujah

Hallelujah
Hallelujah
Hallelujah
Hallelujah

There was a time you let me know
What's real and going on below
But now you never show it to me, do you?

And remember when I moved in you
The holy dark was moving too
And every breath we drew was Hallelujah

Hallelujah
Hallelujah
Hallelujah
Hallelujah

Maybe there's a God above
And all I ever learned from love
Was how to shoot at someone who outdrew you.

And it's not a cry you can hear at night
it's not somebody who's seen the light
it's a cold and it's a broken Hallelujah

Hallelujah
Hallelujah
Hallelujah
Hallelujah

Hallelujah
Hallelujah
Hallelujah
Hallelujah


tradução


Aleluia

Eu soube que havia um acorde secreto
Que Davi tocava, e que agradava o Senhor
Mas você não liga muito para música, não é?

É assim... A quarta, a quinta
O menor cai
O maior sobe
O rei frustrado compondo Aleluia

Aleluia
Aleluia
Aleluia
Aleluia

Sua fé era forte mas você precisava de provas
Você a viu tomando banho do telhado
A beleza dela e o luar arruinaram você

Ela amarrou você à cadeira da cozinha
Ela destruiu seu trono
Ela cortou seu cabelo
E dos seus lábios ela tirou o Aleluia

Aleluia
Aleluia
Aleluia
Aleluia

Talvez eu já estivesse aqui antes
Eu vi este quarto, eu andei neste chão
Eu vivia sozinho antes de conhecer você

E eu vi sua bandeira no arca de mármore
Um amor não é uma marcha da vitória
É um frio e sofrido Aleluia

Aleluia
Aleluia
Aleluia
Aleluia

Mas houve um tempo em que você me disse
O que realmente acontecia lá embaixo
Mas agora você nunca me mostra, não é?

E lembre-se quando eu te comovi
E a pomba da paz também se comoveu
E cada o suspiro que dávamos era um Aleluia

Aleluia
Aleluia
Aleluia
Aleluia

Talvez haja um Deus lá em cima
E tudo que eu já aprendi sobre o amor
Era como atirar em alguém que tirou você

Não é um choro que você pode ouvir de noite
Não é alguém que viu a luz
É um frio e sofrido Aleluia

Aleluia
Aleluia
Aleluia
Aleluia

Aleluia
Aleluia
Aleluia
Aleluia







HUMANIDADE






Existe um nome que hoje ecoa na mídia, e que jamais será esquecido: Aleppo. Imagens das crianças que foram mortas ou que perderam suas famílias correm pela internet e pelos jornais e revistas do mundo todo. E eu fico me perguntando o quanto a raça humana progrediu ao ver cenas como as que foram mostradas ontem no programa Fantástico. 


2016 foi um ano dramático. Nosso país está mergulhado em lama, sujeira, corrupção e oportunismo. Parece não haver um prazo para que estejamos de pé após esses últimos anos de roubalheiras, que continuam. Mais de doze milhões de desempregados vão passar pelo natal sem ceia e sem presentes. 


A Venezuela, tenta sobreviver à fome e à ditadura cruel de um político enganador cujo único objetivo é manter-se no poder. Maduro já caiu de podre, e ainda não percebeu. Enquanto isso, nas ruas as pessoas recorrem aos saques – talvez, numa tentativa desesperada de salvarem suas famílias de morrerem de fome.


Mas nada se compara a Aleppo e às suas crianças massacradas. E quando eu as vi na TV ontem à noite, incapazes de chorar, os olhares perdidos em algum horizonte onde a esperança já morreu, talvez se perguntando o que será delas – sem pais, sem famílias, sem escolas e sem casas, sabendo que a qualquer momento, uma bomba poderá colocar um fim a tudo, eu me pergunto quantas delas não seriam mais felizes se esse fim chegasse. Fico me perguntando quanto tempo levará para que elas possam ir dormir novamente sem sentirem medo. Quanto tempo será preciso para que elas – caso se tornem adultas – possam se recuperar psicologicamente de tudo o que estão passando e conseguirem levar uma vida normal. 


Comparados ao que elas estão passando, nossos problemas não são nada. Aleppo é maior. Tudo é mais urgente e mais sofrível. E pouco pode ser feito, já que a ajuda da qual eles necessitam sequer consegue chegar às áreas de conflito, e quando chega – como os ônibus – são destruídas pelo inimigo. E quem é o inimigo? Um ditador egoísta e sanguinário, sustentado por outro ditador egoísta e sanguinário. É incrível o que uma única pessoa pode causar a milhões de outras pessoas. 


2016. um ano que entrará para a história. 


Um dia, tudo o que está acontecendo hoje será contado nas salas de aula, e testado nas provas escolares. E as crianças do futuro se sentarão durante as aulas de história, as cabeças apoiadas nas mãos, os olhares perdidos em alguma paisagem lá fora, com a mesma indiferença que nós costumávamos nos sentar quando aprendíamos sobre as Duas Grandes Guerras Mundiais, ansiosos pelo toque da hora do recreio ou da hora da saída. Todas as dores de Aleppo terão perdido a importância daqui alguns anos, assim como todos os judeus mortos durante a guerra transformaram-se em fotografias nos livros de história – personagens cujas histórias feias são contadas e escutadas com tédio pelos que vivem hoje. E mesmo assim, o mundo não aprendeu a lição. Nós não aprendemos a lição.


Não houve evolução. Continuamos a rastejar na mesma lama de egoísmo, crueldade, maldade gratuita, indiferença, desejo de vingança, ambição desmedida, mentiras, mentiras, mentiras.


Nenhuma guerra é santa. Nenhum ideal deveria ser maior do que uma vida humana. 


Nenhum ideal deveria ser maior do que uma vida humana.


Deus retirou-se, e enquanto se afastava da humanidade, não olhou mais para trás. Acho que Ele hoje aguarda em alguma sala de aula, talvez recebendo as almas daqueles que estão sendo massacrados pela história que nós escrevemos e contamos, e quem sabe, Ele tente, mais uma vez, ensinar-nos como escrever uma História mais bonita.


Mas nós sempre fomos péssimos alunos.



terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Mil Mortes








Ah, a dor de morrer mil vezes,
Sob o peso dos mesmos pés,
Que pisam, inclementemente
As asas mais distraídas!

Destruir a própria vida
Após o mais longo inverno
Pensando já ter cumprido
Uma estadia no inferno!

Segunda morte, que mata
Mais forte, e profundamente
Aquilo que está por dentro
Apodrecido, demente!

Ah, a dor de errar de novo
Brandindo uma vara curta
Contra os tentáculos fortes
Do mais destemido polvo!

Morder a flor entre os dentes
Até que se quebre o galho,
Amordaçar fortemente
Silenciando o ato falho!

Mistério, é tudo mistério,
Do começo até o fim
Pois quem morreu, retornou
E passa a zombar de mim!

Ah, a dor de morrer de novo
Sob as rodas mais pesadas
Da carruagem, que passa,
E dela, não fica nada...

E o cão só ladra, só ladra,
Uivando, às vezes, à lua
Que observa, refletida
Na suja poça da rua!

Na poça da mais vil lama,
A imagem refletida
De quem almejava o céu
Mas perdia a própria vida...





Sócrates





Alguns pensamentos do filósofo Sócrates:




É costume de um tolo, quando erra, queixar-se do outro. É costume do sábio queixar de si mesmo.






Em qualquer direção que percorras a alma, nunca tropeçarás em seus limites.



Não penses mal dos que procedem mal; pensa somente que estão equivocados.








“As pessoas precisam de três coisas: prudência no ânimo, silêncio na língua e vergonha na cara.” 



“O homem para ser completo tem que estudar, trabalhar e lutar” 



“A maneira mais fácil e mais segura de vivermos honradamente, consiste em sermos, na realidade, o que parecemos ser.




Biografia: Sócrates foi um filósofo ateniense do período clássico da Grécia Antiga. Creditado como um dos fundadores da filosofia ocidental, é até hoje uma figura enigmática, conhecida principalmente através dos relatos em obras de escritores que viveram mais tarde, especialmente dois de seus alunos, Platão e Xenofonte, bem como as peças teatrais de seu contemporâneo Aristófanes.
Fonte: KDFrases




Os Piores Fantasmas







Os piores fantasmas

Não carregam nenhuma

Memória,

Os piores fantasmas.

São únicamente

Histórias

Já contadas.



Almas transformadas

Implodidas pela ambição,

De olhos insensíveis

E mãos separadas.


A eles, nada importa,

Nada conta,

Nada.




Os piores fantasmas

Ainda nem morreram,

Sentam-se, indiferentes, 

À mesa

De uma ceia indigente,

Os queixos apoiados nas mãos,

Os olhos perdidos,

Separados para sempre

Por milhas e milhas

De palavras malditas

Mal ditas.


São vidas sozinhas

Que perderam o encanto.

Sorriem nas fotos,

Entretanto...




MISTÉRIO

  Existe um jardim, e nele, uma flor Que todos procuram Embora alguns digam que ela não é. E muito se diz sobre a sua cor: Vermelha o...