segunda-feira, 21 de maio de 2012

TEU NOME


Foto: Casa de Pedra, em Petrópolis, Av. Koeller




TEU NOME




Teu nome
É a oração pagã
Que escapa entre meus lábios
E que desconhece
A origem sagrada de sua raiz:
O meu coração.


Teu nome
É o começo de tudo
O que tem importância,
E o resumo incompleto
E ansioso
Do meu viver.


Teu nome
É a palavra perdida
Na canção da vida,
Que eu canto baixinho
De olhos fechados
Para não morrer.


Teu nome
É o destino que busco
No incerto crepúsculo
E que não sei se encontro
Não sei se existe,
Ou se é só busca.


Teu nome
É a promessa silenciosa
Que ninguém prometeu
Mas na qual eu creio,
Pois é a razão
E a esperança
De um sentido.


4 comentários:

  1. maravilhoooooso!!! bom dia Ana !! olguinha

    ResponderExcluir
  2. Olá Ana!

    Obrigado por me visitar
    e comentar em meu blog =)

    Li algumas poesias suas,
    umas delicadas e envolventes,
    outras realistas e profundas,
    passas suavidade e encanto
    com teus versos...

    E há ainda criatividade ímpar
    entrelinhas então adorei todas!

    Parabéns! Abraço.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Exageros

    Assisti a um vídeo na internet no qual uma drag queen montada dava palestras em uma escola para crianças que, aparentemente, t...