domingo, 27 de maio de 2012

PERDIDA DE MIM




Andei tanto tempo perdida de mim...
Quando me busquei, não me reconheci.
Fugi assustada do rosto que vi
No tempo em que andei perdida de mim.

E houve a jornada , o caminho de volta,
A loucura cega, a procura solta,
Até que de novo me reencontrei,
Mas confesso que andei perdida de mim.

Perdida de mim andei tanto tempo
Que eu mal me lembro por onde que andei
Mas sei que voltei mais dona de mim,
Eu não me sabia, mas hoje eu me sei.

E acaso algum dia eu me perca outra vez,
Talvez seja fácil me reencontrar.
Trilhei minha estrada, o caminho se fez,
Hoje eu posso ir, pois já sei voltar.

5 comentários:

  1. Às vezes a gente se perde pra poder se encontrar...Muitolindo Ana.Bjss

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto. Lembrei da canção Meu Universo (Novo Som), quando a letra diz que há muita gente, na plataforma da ilusão, vai no trem da solidão... Bem: Acho que diante de tantos padrões que o pós-modernismo impôs, todos ficamos um pouco perdidos e esse reencontro (de que você fala) é necessário pra todos... Se isso não acontecer...

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Ana, eu me perco de mim muitas vezes rsss e só me perdendo que consigo me achar e fazer o caminho de volta trazendo na bagagem novas experiências.
    Beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Olá Ana! Já dizia Clarice Lispector: "perder-se também é caminho". Belíssimo poema! Sempre bom demais ler-te. Beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Conformismo

“Não É bem o que eu imaginava, ou o que me prometeram, mas está bom.” Quantas e quantas vezes nos pegamos pronunciando ...