sexta-feira, 11 de maio de 2012

Orquídeas



Ela não sabe o que é beleza,
Ninguém lhe disse.
Por isso, é feliz,
Não tem quaisquer
Parâmetros de comparação.

Cada uma tem sua cor,
Seu formato,
E quando a luz incide sobre elas,
Lançam diferentes cintilações,
Tons mais frios
Ou mais quentes.

Algumas são muito raras,
Híbridas e caras,
Enquanto outras, nascem felizes
Na copa de qualquer árvore,
Em qualquer madeira podre,
Mas nem por isso, tem menos beleza.

As orquídeas, assim como todas
As outras flores,
Entregam-se à vida sem medos,
Sem pudores...
Símbolos da inocência que muitos almejam
E outros, proclamam ter.




2 comentários:

  1. Uma das flores mais lindas que conheço. Antes, não sei se hoje ainda é assim, de tão raras, floriam uma vez por ano, duravam no máximo dois meses. E floriam em qualquer lugar, no meio da mata, nos troncos podres, ou em viveiros de plantas para depois
    irem enfeitar casas, lojas e afins. Sua comparação com as pessoas foi profunda demais. Dá o que pensar. Meu carinho Ana, obrigada pelos parabéns.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

REFLEXÃO

Já muito andei sem enxergar, sem ver, O que me fez e me desfez, a fome... "Ana" é o nome que alguém me deu, M...