quinta-feira, 17 de maio de 2012

A FESTA


Nem mesmo todas as luzes
Daquela festa
Foram suficientes
Para clarear tua tristeza.

Tanta cerveja,
Música alegre,
Comes e bebes...

Havia doces e tortas,
Cremes espalhados
Sobre a alegria morta.

Mil-folhas secos,
Esfarelavam a vida pelo chão
No qual pisavas.

Nem mesmo as crianças
Ou os folclores e danças,
Nada poderia arrancar-te
Um sorriso, sem causar dor...

Porque na festa,
Faltava alguém,
E aquela ausência gritava,
Entre as luzes ofuscantes,
Abafando, num soluço,
As músicas e risos dançantes...

Nada mais será como antes!
Nada, nunca, nunca mais!...

2 comentários:

  1. Lindo e quando falta alguém, a festa não "rola".beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Acho que já somos quase 7 bilhões nessa "festa" - mas sempre temos a necessidade de UM ÚNICA pessoa ao lado. "É impossível ser feliz sozinho". Belo poetar. Braga.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...