quinta-feira, 17 de maio de 2012

A FESTA


Nem mesmo todas as luzes
Daquela festa
Foram suficientes
Para clarear tua tristeza.

Tanta cerveja,
Música alegre,
Comes e bebes...

Havia doces e tortas,
Cremes espalhados
Sobre a alegria morta.

Mil-folhas secos,
Esfarelavam a vida pelo chão
No qual pisavas.

Nem mesmo as crianças
Ou os folclores e danças,
Nada poderia arrancar-te
Um sorriso, sem causar dor...

Porque na festa,
Faltava alguém,
E aquela ausência gritava,
Entre as luzes ofuscantes,
Abafando, num soluço,
As músicas e risos dançantes...

Nada mais será como antes!
Nada, nunca, nunca mais!...

2 comentários:

  1. Lindo e quando falta alguém, a festa não "rola".beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Acho que já somos quase 7 bilhões nessa "festa" - mas sempre temos a necessidade de UM ÚNICA pessoa ao lado. "É impossível ser feliz sozinho". Belo poetar. Braga.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

REFLEXÃO

Já muito andei sem enxergar, sem ver, O que me fez e me desfez, a fome... "Ana" é o nome que alguém me deu, M...