sábado, 26 de maio de 2012

ANJOS





Anjos

Lá, onde estão todos eles,
N'algum lugar indizível...
Invisíveis, diáfanos seres
Ilhargas dos homens perdidos
Que qual Ícaros lhes anseiam.

Lá, entre o pó das estrelas,
Contemplam-nos, embevecidos.
Sopramo-lhes ansiosas preces
E, na avidez de sermos ouvidos,
Ideamo-lhes o semblante.

Lá, entre o Eterno e o Instante,
Estes místicos seres de bruma
Olham por nós, e a eles oramos.
E em oníricas viagens noturnas
Entre zéfiros e ondas de espuma
Somente Lá os encontramos.

8 comentários:

  1. Muito belo este teu poema, Ana. É um salmo de serenidade. Parabéns/!


    *obrigada*

    ResponderExcluir
  2. Estão tão longe e tão perto.Melhor descrição, impossível. Artistas plásticos usam essa inspira~~ao frequentemente. O resultado é sempre surpreendente.

    ResponderExcluir
  3. ficou lindo lindo !!! boa noite Ana ! feliz domingo. olguinha

    ResponderExcluir
  4. Você precisa nos dizer o endereço, porque a imagem, o som, o sabor e a intensidade da vida dos anjos foi corretamente mostrada. Quando virá? Parabéns, poetisa!

    ResponderExcluir
  5. Lindo Domingo Ana,Falando de Anjos,exaltando uma beleza angelical
    que muito me agradam,nossos guias
    que nos guiam.Parabéns pela inspiração.Bjus\Flor*

    ResponderExcluir
  6. Etéreo e doce como idealizamos que eles sejam. Aquele socorro na hora do aperto, invocação imediata que sempre me escapa. Aquele último toque da trombeta é teu? Engraçado é que de viva voz, não tem nada de parecido. rss.. Abrçs.

    ResponderExcluir
  7. Lindo Domingo Ana=arrazou.Adorei esta poesia,ainda mais que falam de Anjos.
    Parabéns pela inspiração.Bjus\Flor*(Amiga vim te convidar a conhecer minha nova casa.é um prazer tela por lá.

    ResponderExcluir
  8. Jose Aprigio da Silva japrisi@globo.com



    08:25 (10 horas atrás)














    para mim











    Bom dia minha amiga poetisa, Ana Bailune você comentou dois textos meus no RECANTO DAS LETRAS. Obrigada pela sua linda visita em meus textos no Recanto e volte outras vezes mais. Eu não te encontrei no Recanto. Eu te encontrei num link enviado ao meu e-mail. Comentários: Um lindo poema que realmente saiu do fundo da alma. Parabéns!!! José Aprígio da Silva. Lorde dos Acrósticos * 27/05/12 ”Não conseguir enviar o comentário via blog, me desculpe.”

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...